Logotipo Dedalus   Logotipo ABCD
                         
Identificação       Preferências   Catálogos   Fale Conosco   Encerrar Sessão  
Buscas   Resultados   Buscas Anteriores   Meus Docs.   Histórico   Vocabulário   Ajuda
 
  Adicionar Reg. Meus Docs.  |  Localizar  |  Salvar / E-mail  

Registro Completo

Escolher formato: Padrão Ficha Formato Reduzido Nomes MARC Campos MARC
No. Registro   002866638
Tipo de material   TRABALHO DE EVENTO-RESUMO PERIODICO - NACIONAL
Entrada Principal   LinkAzeved, A. C. S (*) NAC
Título   LinkAvaliação do desenvolvimento dentário e ósseo para estimativa da idade cronológica de jovens brasileiros.
Imprenta   São Paulo : SBPqO, 2017.
Descrição   p. 63, res. AO0061.
Idioma   Português
Nota   Disponível em: <http://http://www.sbpqo.org.br/hotsite2017/Anais/BOR-v031-SBPqO-Book_v12.pdf. Acesso em:09 jan 2018
Resumo   O estudo de estimativa de idade norteia-se na avaliação dos acontecimentos que transcorrem durante o desenvolvimento dentário e ósseo. Nessa perspectiva, os objetivos do estudo consistiram em validar o método de estimativa de idade por meio de índices radiográficos em brasileiros. Em seguida, objetivouse verificar a efetividade das equações de estimativa de idade pelo exame dos dentes e vértebras cervicais, além de associar dados dentários e medidas cervicais em novas equações. A amostra foi composta por panorâmicas e telerradiografias pertencentes a 510 indivíduos (8-24,9 anos). Foram aplicados métodos de estimativa de idade para sete dentes inferiores, vértebras cervicais e terceiros molares. Logo após, as técnicas foram combinadas por meio dos índices: escore radiográfico oro-cervical simplificado (EROCS) e escore radiográfico oro-cervical simplificado sem o terceiro molar (EROCSSTM). Na segunda fase, avaliou-se a maturação dentária, medidas vertebrais, e a idade foi estimada através de equações de regressão. O EROCS apresentou taxa de acerto igual a 67,4%; para o EROCSSTM a taxa de acerto foi 70,8%. Ao aplicar as equações de estimativa de idade para dentes, o erro médio foi igual a 1,3 anos, e para as vértebras cervicais um erro de 1,9 anos. As variáveis dentárias e as medidas cervicais foram associadas e equações foram desenvolvidas, apresentando erro médio igual a 1 ano. Os índices radiográficos foram reprodutíveis e passíveis de utilização na prática forense. Ademais, recomenda-se o uso das equações que associam medidas cervicais e dentárias para elevar a acurácia das idades estimadas.
Assunto   LinkDESENVOLVIMENTO ÓSSEO
  LinkIDADE
  LinkJOVENS
Autor Secundário   LinkCrosato, Edgard Michel
  LinkBiazevic, Maria Gabriela Haye
Autor Secundário   LinkProceedings of the SBPqO Annual Meeting (34. 2017 Campinas)
Fonte   LinkIn: Brazilian Oral Research, São Paulo, v. 31, supl. 2, p. 63, res. AO0061, 2017, ISSN: 1807-3107
 
Unidade USP   FO -- FAC DE ODONTOLOGIA
  FO -- FAC DE ODONTOLOGIA

Escolher formato: Padrão Ficha Formato Reduzido Nomes MARC Campos MARC


Encerrar Sessão - Preferências - Fale Conosco - Ajuda - Ex Libris
Buscas - Resultados - Buscas Anteriores - Catálogos