Logotipo Dedalus   Logotipo ABCD
                         
Identificação       Preferências   Catálogos   Fale Conosco   Encerrar Sessão  
Buscas   Resultados   Buscas Anteriores   Meus Docs.   Histórico   Vocabulário   Ajuda
 
  Adicionar Reg. Meus Docs.  |  Localizar  |  Salvar / E-mail  

Registro Completo

Escolher formato: Padrão Ficha Formato Reduzido Nomes MARC Campos MARC
No. Registro   001248821
Tipo de material   TESE
Entrada Principal   LinkAlmeida, Joaquim Maurício Duarte
Título   LinkFlavonóides, óleos voláteis e glândulas foliares de Bauhinia.
Imprenta   São Paulo, 2002.
Descrição   87 p.; il
Idioma   Português
Nota Tese/Diss   Dissertação (Mestrado)
Resumo   Bauhinia Plum ex. L. é um grande e diverso gênero cosmopolita de Fabaceae. Suas características morfológicas mais marcantes são a forma e a nervação de suas folhas, que justificam os nomes comuns atribuídos às plantas do gênero, alguns às espécies de Bauhinia, como antidiarréica, vermífuga, diurética, antiinflamatória, analgésica/antinociceptiva, anti-reumática, e no tratamento de diabetes. Folhas de Bauhinia aculeata, B. alata, B. angulosa, B. brevipes, B. forficata, B. longifolia, B. outimouta, B. pentandra, B. purpurea, B. rufa e B. variegata foram coletadas em habitats tais como campo rupestre, cerrado, florestas mesofíticas e áreas cultivadas. Os hábitos das plantas são variados: árvores (p. ex. B. longifolia), arbustos (brevipes) e lianas (B. outimouta). Flavonóides foram obtidos das folhas de todas as espécies seguindo procedimentos padrões, envolvendo extração com metanol 80% e isolamento através de cromatografia em coluna e papel. Os compostos também foram identificados por métodos padrões, utilizando-se hidrólise, espectroscopia UV/visível de glicosídeos e agliconas com agentes complexantes e ionizantes, e cromatografia de glicosídeos, agliconas e açúcares. Somente flavonóis foram encontardos, sendo os glicosídeos de quercetina os compostos mais frqüentes. O subgênero Bauhinia possui maior variedade de aglonas e açúcares quando comparado ao subgênero Phanera. As implicações taxonômicas dos flavonóides foram avaliadas através de análise de
  agrupamentos UPGMA, utilizando dois coeficientes de associação, Jaccard e de Comparação Simples. Os fenogramas obtidos não mostraram congruência com a atual classificação infragenérica do gênero. A extração dos óleos voláteis por destilação a vapor foi realizada com folhas de todas as espécies. Apesar da inexistência de trabalhos sobre óleos voláteis em Fabaceae, muitas espécies apresentaram essas substâncias, apesar de apresentá-las geralmente em baixa quantidade. ) Análises de GC/MS mostraram que sesquiterpenos predominaram na maioria das espécies. trans-cariofileno e ’alfa’-copaeno estão entre os compostos mais freqüentemente encontrados. Monoterpenos parecem ser mais comuns no subgênero Phanera e ausentes no subgênero Bauhinia. A secreção dos óleos voláteis no interior das glândulas multicelulares epidérmicas parece ser uma característica de Bauhinia. Apesar da variação no número de glândulas por superfície foliar, a maioria das espécies apresenta essas glândulas. Análise por microscopia óptica e eletrônica de varredura mostraram que, dependendo das espécies, as glândulas são encontradas em áreas diferentes da superfície foliar, tais como próximo ao bordo foliar, ao longo das nervuras ou na região entre as nervuras
Nota Local   Botânica
Departamento   BIB BOTANICA
Assunto   LinkFLAVONÓIDES
  LinkANATOMIA VEGETAL
Autor Secundário   LinkSalatino, Antonio
 
Acervo Geral   Todos os itens
Itens na Biblioteca   IB-Instituto de BiociênciasLibrary Info
Unidade USP   IB -- INST DE BIOCIÊNCIAS

Escolher formato: Padrão Ficha Formato Reduzido Nomes MARC Campos MARC


Encerrar Sessão - Preferências - Fale Conosco - Ajuda - Ex Libris
Buscas - Resultados - Buscas Anteriores - Catálogos